Bolo de frutos vermelhos


Hoje é o terceiro domingo de maio, o que significa que é World Baking Day!

Ou pelo menos, para algumas pessoas. Pois a internet também diz que é amanhã. Bem, dois "World Baking Day" nunca fizeram mal a ninguém!

A receita de hoje foi feita propositalmente para este dia. É um bolo de frutos vermelhos que fez sucesso cá em casa.


bolo de frutos vermelhos , world baking day

Precisamente por ser o World Baking Day, partilho convosco um pouco da minha história com os bolos, especificamente. 

Faço bolos desde pequena, não sei precisar desde quando, mas muito antes dos 10 anos já os fazia, com formas que já existiam muito antes de mim. Ainda me lembro da primeira receita que a minha mãe me ensinou. Era fácil de memorizar e muito versátil. Medir tudo, numa balança que também já existia antes de mim, bater ovos e açúcar, acrescentar a manteiga derretida - parte em que a mãe ajudava, além do forno - acrescentar a farinha e bater também.

bolo de frutos vermelhos, world baking day


A partir daí e com o passar dos anos, fui experimentando bolos diferentes, com proporções diferentes, fui pesquisando, fui formulando as minhas próprias receitas.

Por estas memórias, hoje trago um pouco do início juntamente com o meu presente. Trago uma receita nova, um bolo de frutos vermelhos, que foi a primeira vez que fiz, feito na forma mais antiga que tenho - uma das primeiras formas que usei - se é que não foi mesmo esta a primeira! Untada com manteiga e farinha, como fazia, em vez de usar papel vegetal.


bolo de frutos silvestres, world baking day

bolo de frutos vermelhos, world baking day


Vamos à receita!


Ingredientes:

Para este bolo de frutos vermelhos vão precisar de:

1 chávena de chá de frutos vermelhos
250 g de farinha
200 g de açúcar
3 ovos
100 ml de óleo
100 ml de leite ou bebida vegetal
2 c. chá de fermento para bolos
1 c. sopa de sumo de limão
Raspa de meio limão


Preparação:

Pré-aquecer o forno a 170 ºC.
Num recipiente, colocar 1 chávena de frutos vermelhos, congelados ou frescos, com 2 colheres de sopa de farinha. Reservar.
Bater o açúcar com os ovos até obter um creme fofo.
Acrescentar o óleo e bater bem.
Adicionar metade da farinha com fermento e bater um pouco, apenas até incorporar.
Acrescentar o leite, a raspa de meio limão e 1 colher de sopa de sumo de limão. Bater um pouco e acrescentar a restante farinha. Bater até incorporar.
Untar uma forma com manteiga e farinha.
Colocar metade da massa, os frutos vermelhos e, por fim, a restante massa.
Assar durante 50 minutos ou até um palito sair seco.


Nota: Devido aos frutos vermelhos, é melhor deixar o bolo arrefecer na totalidade antes de o provar. Em caso de dúvidas, sim, eu costumo provar os bolos passado pouco tempo de sair do forno 😁


*********


ENGLISH


Today is the third Sunday of May which means it's World Baking Day!

Or, at least, for some of us, since the Internet also says that tomorrow is World Baking Day. Well, two of them is better than none! The more, the merrier! More baked food to eat!

Today's recipe was elaborated specifically for this day. It is a berry cake that was a huge success in my family.

berry cake, world baking day


Since it is World Baking Day, I would like to share with you my baking story.

I bake cakes since I was a little girl. I don't know since when exactly, but it was years before I completed 10 with cake pans much older than me! I still remember the first recipe my mom taught me. It was so easy to remember and versatile! Measure everything - in a scale that was also older than me (we still have it) - beat sugar and eggs, add melted butter - with mom's help - add flour and beat it too.

After that and as the years went by, I tried different recipes, with different proportions, I did my own research and I formulated my own recipes.

For all these memories, today I present you with a bit of the past and a bit of the present. This berry cake for World Baking Day 2021 is a new recipe and the first try, and was baked in the oldest cake pan I have - one of the first cake pans I used - probably the first ever! Instead of baking paper, I greased and floured the pan, just like I spent most of my baking life doing.

berry cake

world baking day 2021


Finally, the recipe!


Ingredients:

1 cup of mixed berries
250g flour
200g sugar
3 eggs
100ml oil
100ml milk/vegetable milk
2 tsp baking powder
1 tbsp lemon juice
Zest of half a lemon


Preparation:

Preheat the oven to 170 ºC.
In a bowl, add 1 cup of berries, frozen or fresh, and mix them with 2 tbsp of flour. Set aside.
With the mixer, beat sugar and eggs until fluffy.
Add the oil and beat well.
Add half of the flour with baking powder, whisk just until combined.
Add milk, the zest of half a lemon and 1 tbsp of lemon juice. Whisk and add the remaining flour. Beat until combined.
Grease and flour a baking pan.
Pour half of the batter, then the berries, and finally the remaining batter.
Bake for 50 minutes or until a toothpick comes out dry.


NOTE: Let the cake cool down completely before trying it, because of the berries. In case of any doubts, yes: I do try my cakes shortly after they come out of the oven 😁



REVIEW: Iogurtes vegan Life Is Soyummy

Há cerca de um mês que não como um iogurte de leite de vaca.

Não sou vegan, pelo menos não ainda, mas decidi cortar, de uma vez por todas, com os lacticínios. Há que acabar com stocks de coisas que se tem (daí algumas receitas ainda conterem derivados de leite), mas a essência é não comprar mais destes produtos.

Um dos grandes intervenientes na minha alimentação era precisamente o iogurte. Todos os dias, pelo menos um, por vezes dois.

Acontece que tinha um pouco de "pavor" dos iogurtes vegetais, nomeadamente dos de soja, por experiências anteriores, mas o mercado tem evoluído bastante e decidi experimentar os iogurtes veganos que apareceram há relativamente pouco tempo no Aldi. São de uma marca que nunca vi, chamada Life Is Soyummy
(Nota: pelo que averiguei, estes iogurtes veganos da Soyummy já existem em algumas lojas Aldi há um tempo considerável, mas nas lojas que frequento, só os vi este ano)

A embalagem é apelativa, os sabores publicitados também, o preço é muito convidativo.
E acontece que o sabor é incrível! É mesmo "Soyummy"! E são de facto iogurtes - são fermentados - e não são apenas uma substância consistente como em alguns casos.
Provei dois dos sabores disponíveis: baunilha e mirtilos. (Há a versão "natural", mas fugi...)

O iogurte de baunilha é muito suave e nota-se que não é um iogurte "normal", que há ali qualquer coisa diferente. No entanto, é muito agradável.

iogurte vegan aldi baunilha Life Is Soyummy




O iogurte de mirtilos da Life Is Soyummy é sem dúvida o meu favorito! É igualmente suave, tem alguns mirtilos pelo meio, mas nesse não se percebe nenhum sabor diferente ou estranho. É tão bom, que nem parece um iogurte vegetal! Não fosse o rótulo dizer que é vegan e garantidamente eu seria bem enganada.

iogurte vegan life is soyummy mirtilo
Imagem retirada daqui


Algo que notei logo, foi a quantidade de açúcar. Em comparação com os iogurtes que eu estava a comer, estes iogurtes vegan têm metade do açúcar! Para mim isto significa que posso comer ainda mais iogurte. 
Os iogurtes Life Is Soyummy são vendidos a 1,29 € em copos de 500g, o que não é um problema para quem consome iogurtes todos os dias. Neste momento, são os iogurtes vegan que mais tenho consumido (há outros, de soja, deliciosos, que não parecem nada ser de soja, e em breve falarei sobre eles) e só espero que apareçam ainda mais sabores para experimentar!

Mesmo que não pretendam reduzir o consumo de carne ou de lacticínios, recomendo muito os iogurtes vegan da Life Is Soyummy porque são maravilhosos!

Já conheciam estes iogurtes?

REVIEW: Bioten Detox Creme de Dia

Já há algum tempo que não vos trago uma review ou opinião, seja do que for. No entanto, continuo a experimentar produtos, pois gosto muito de variar.

O produto de hoje é da Bioten, o Creme de Dia Detox.

Creme bioten detox de dia


Para quem não sabe, a Bioten não só é uma marca acessível, como é cruelty-free. Tenho usado alguns produtos da marca e tenho gostado bastante. Especificamente, o creme de rosto Detox, além de cruelty free, é também vegan.

Achei muito interessante ser um creme anti-poluição, visto que é um dos fatores que interfere negativamente com a nossa pele, especialmente em locais em que a densidade populacional é maior. O Creme de Dia Bioten Detox contém 80% de ingredientes de origem natural, não contém parabenos, derivados de petróleo, nem corantes e possui um complexo chamado "Pollu-block", que atua como antioxidante e antipoluição, anti-idade e antifadiga. Além disso, e para mim, algo mais concreto, contém extrato de carvão ativado, já há muito reconhecido por combater toxinas e, neste caso, combate os efeitos da poluição.

Algo que quero destacar em relação ao creme de rosto Bioten Detox é que contém SPF15 e protege contra infravermelhos e luz visível. O fator de proteção solar é reduzido, no entanto, devemos lembrar-nos que quando passamos o dia em frente ao ecrã, sujeitamos a nossa pele a radiações, um dos fatores que contribui e acelera o envelhecimento da pele, pelo que mesmo no interior devemos ter cuidado com essa questão. No exterior, devemos reforçar a proteção solar com um produto com SPF maior.

Deixo-vos aqui a lista de ingredientes:

Ingredientes bioten detox creme de dia

Como podem ver na lista, mas é algo que não foi destacado pela Bioten, é que tem também ácido hialurónico, neste caso, na forma de hialuronato de sódio (sodium hyaluronate). Mais um ponto positivo.


A minha experiência com o creme de dia Detox da Bioten:

Gostei dele desde a primeira aplicação. Tem uma textura consistente mas muito fácil de espalhar e de rápida absorção. É extremamente confortável na pele do rosto e mantém-na bem hidratada durante todo o dia. Andava até com alguns problemas de secura na pele e depois de mudar para este creme, esses problemas desapareceram e a minha pele ficou contente!


Se recomendo? Sem dúvida!



Gelado de caramelo e nata

gelado de caramelo e nata


Porque de vez em quando já vai estando quentinho,
Porque gelado é algo que se come sempre alguém quiser,
Porque qualquer desculpa é boa para comer gelado,


Concluo a "saga do caramelo caseiro" com esta receita de gelado de nata e caramelo.

Muito francamente, acaba por ser um gelado de caramelo.


É tão simples fazer gelado em casa, especialmente quando não se precisa de uma máquina de fazer gelados, ou de estar a remexer o gelado de x em x tempo. Nada disso!

Com poucos ingredientes e de forma muito rápida, é possível preparar um gelado caseiro, fácil e delicioso, de fazer inveja a qualquer gelado "de compra".


gelado caseiro de caramelo caseiro e nata



Gelado de Caramelo e Nata


Ingredientes:

  • 200ml de natas frias
  • 3 claras
  • 6 colheres de sopa de açúcar
  • 1 pitada de sal
  • Molho de caramelo (receita já publicada aqui no blog)


Preparação:


Bater as claras com uma pitada de sal. Depois de estarem firmes, acrescentar 3 colheres de sopa de açúcar e voltar a bater. Reservar
Bater as natas até dobrarem de volume e, depois de estarem bem batidas, adicionar 3 colheres de sopa de açúcar. Voltar a bater.
Envolver as claras nas natas, com cuidado, para preservar o máximo possível de ar.

No recipiente em que o gelado irá ao congelador, colocar uma camada da mistura de natas e claras. Por cima, colocar um pouco de caramelo e ir intercalando, terminando com o caramelo por cima. Com uma faca, na vertical e em movimentos de ziguezague, misturar um pouco (formando também um padrão).

Levar ao congelador até solidificar e, antes de servir, retirar uns minutos antes para ficar ligeiramente mais macio.


Nota: Após cada adição de caramelo, pode-se misturar muito ligeiramente o caramelo e o gelado - desta forma ficará mais envolvido no gelado, havendo menos veios de caramelo no meio e formando um gelado mais uniforme.
Se o que se pretender for realçar os veios de caramelo no gelado, basta apenas passar a faca no final, conforme explicado.


Nota bónus: Se quiserem dar asas à gula e se ainda tiverem molho de caramelo, usem e abusem, como nesta foto:

gelado de nata e caramelo




Cheesecake de caramelo

cheesecake de caramelo


Leram bem!

Vou partilhar a receita de um delicioso cheesecake de caramelo!

É muito simples, tem todo o sabor, é de comer, e... comer mais! (Só se chora na última fatia) Tem uma maravilhosa camada de caramelo entre a base de bolacha e o recheio, por isso, tem tudo para ser um sucesso.

Não é por nada, mas fiquei encantada com a possibilidade de fazer cheesecakes com iogurte. Sim, deixa de ser um cake de cheese, mas fica lá perto, até pelas texturas que são semelhantes. E o sabor? O sabor é maravilhoso!

Nesta receita usei uma forma pequena; se forem usar uma forma maior, sintam-se à vontade para usar o dobro dos ingredientes.


cheesecake de caramelo


Cheesecake de caramelo


Ingredientes:


Base:

  • 200g de bolacha Maria
  • 100g de manteiga
  • 1 ou 2 colheres de sopa de água, se necessário

Recheio: (todos os ingredientes à temperatura ambiente):

  • 400g de iogurte grego
  • 100g de açúcar
  • 1 c. de sopa de açúcar baunilhado
  • 1 pitada de sal
  • 2 ovos
  • 1 c. sopa de amido de milho

Caramelo:

O caramelo desta receita é o deste post.


Preparação:


Base:

Pré-aquecer o forno a 180 ºC.

Derreter a manteiga. Triturar as bolachas. Misturar a manteiga derretida com as bolachas. Se a mistura estiver muito seca, acrescentar uma ou duas colheres de sopa de água, para conferir um pouco mais de humidade. Colocar numa forma de mola previamente untada com manteiga e com o fundo forrado a papel vegetal, e alisar, pressionando ligeiramente, e abrangendo também um pouco as laterais da forma. Assar durante 10 a 12 minutos, até dourar nas bordas.

Deixar arrefecer e reservar.


Caramelo:

Ao caramelo preparado com esta receita retirar cerca de 1 chávena. Levar ao lume, para o aquecer, e colocar 2 colheres de sopa rasas de farinha (sem fermento). Misturar muito bem para incorporar, sem deixar grumos e deixar cozinhar cerca de 1 minuto.

Este caramelo ficará mais espesso e será colocado no fundo da base. Por ser mais espesso, não irá desaparecer no recheio do cheesecake aquando da cozedura.

Estando pronto, colocar este caramelo no fundo da base do que será o cheesecake. Deixar arrefecer.


Recheio:

Bater bem o iogurte grego com o açúcar, a pitada de sal e o açúcar baunilhado durante 3 minutos até estar tudo bem dissolvido.

Adicionar os ovos, um a um, batendo bem entre cada adição.

Por fim, acrescentar o amido de milho e bater bem.

Verter o creme do cheesecake na base (já com o caramelo), e levar ao forno, pré-aquecido a 180 ºC, durante 30-40 minutos (pode demorar mais tempo, dependendo da altura da forma que utilizarem).

Deixar arrefecer e colocar no frigorífico durante pelo menos 3h.

Antes de servir o cheesecake, passar uma faca entre o cheesecake e a forma para garantir que está totalmente solto, abrir a forma, remover com cuidado e passar o cheesecake para um prato de bolo ou outro suporte. Podem usar o molho de caramelo que restou (o sem farinha) para colocar por cima do cheesecake, ou colocar esse molho de caramelo a gosto, na fatia que estiver a ser servida.



Molho de caramelo caseiro

Quem é fã de caramelo?

Eu sou de certeza! E é tão fácil fazer um caramelo caseiro. Com poucos ingredientes e um pouco de paciência, nunca mais vão querer comprar caramelo!

Esta receita de caramelo, estilo toffee, serve para inúmeras receitas: podem usar em bolos, gelados, cheesecakes, enfim! Um sem número de hipóteses e opções deliciosas.


receita de molho de caramelo caseiro


Vamos então à receita?

Molho de caramelo caseiro


Ingredientes:

  • 350g de açúcar
  • 50g de manteiga à temperatura ambiente
  • 200ml de natas à temperatura ambiente
  • 50ml de água quente

Preparação:


Colocar o açúcar num tacho em lume médio e deixar derreter. É preciso cuidado e atenção neste processo, pois pretende-se que fique um caramelo dourado, mas não demasiado, e qualquer distração pode levar a um pequeno desastre culinário.
Quando o açúcar estiver derretido e já houver, de facto, caramelo, retirar do lume e adicionar a manteiga e com a colher de pau ou com uma vara de arames, mexer bem, para incorporar a manteiga no caramelo.
Em seguida, adicionar as natas aos poucos e misturar bem entre cada adição, para que fiquem bem incorporadas.
Levar o molho de caramelo novamente ao lume, acrescentar os 50ml de água quente, misturar muito bem e deixar cozinhar durante aproximadamente 2 minutos para desfazer alguns cristais de açúcar que se tenham formado.
Transferir para uma taça e deixar arrefecer.

E assim o vosso caramelo caseiro está pronto!

Depois de arrefecer totalmente, o caramelo ficará mais espesso e terá a consistência esperada. 
Pode ser guardado em frascos, no frigorífico.


Arroz de Cenoura e Algas Wakame - Rice with Wakame Seaweed and Carrots

Há uns meses vi (no Aldi, salvo erro) uma embalagem com algas wakame desidratadas. Nunca tinha experimentado cozinhar com algas, embora não sejam incomuns no mercado.

Pois bem, decidi experimentar as algas num arroz de cenoura e ficou delicioso!

As algas wakame têm um sabor muito interessante: é como se estivesse ali um vegetal de folha verde, mas com um toque mais marítimo.


A receita é muito simples:


arroz com algas wakame



Ingredientes:

1 cebola pequena

2 dentes de alho

Azeite qb

2 chávenas de água

1 chávena de arroz

3 cenouras

10g (aprox) de algas wakame desidratadas

Sal qb


Algas wakagame
Algas wakame já reidratadas


Preparação:

Colocar as algas wakame desidratadas numa taça e colocar água até cobri-las - desta forma vão reidratar sem depois retirar água ao arroz durante a cozedura.

Num tacho, colocar azeite, cebola e alho e refogar ligeiramente.

Acrescentar água, colocar as cenouras descascadas e cortadas (gosto de cortar de forma a que as rodelas fiquem em metades ou quartos), e esperar que a água ferva.

Quando estiver a ferver, acrescentar o arroz, as algas wakame e o sal. Misturar.

Deixar levantar fervura novamente, misturar e provar o sal. Retificar, se necessário.

Cozinhar, em lume brando, sem cobrir o tacho na totalidade (para evitar que crie espuma e um potencial desastre).

Servir como acompanhamento de carne, peixe ou de um prato vegan.



******************************


ENGLISH



Some time ago while shopping at Aldi (if I am not mistaken) I noticed they were selling some nice packages of dehidrated wakame seaweed. I never tried seaweed when cooking, even though it is not something uncommon in the market.

So I decided to try wakame in rice, and it turned out delicious!

Wakame seaweed have a very interesting flavour: it's like you have another leafy vegetable in there, but with a "sea taste".


This is a very simple rice recipe:


rice with wakame seaweed


Ingredients:

1 small onion

2 cloves of garlic

Extra virgin olive oil

2 cups of water

1 cup of rice

3 carrots

10g (aprox) of wakame seaweed

Pinch of salt


Instructions:

In a bowl, put 10g of dehidrated wakame seaweed and cover them with water - they'll absorb the water and won't "steal" it to the rice when cooking.

In a pan, braise onion and garlic with olive oil.

Add water, the carrots (peeled and cut into halved or quartered slices), and bring it to a boil. Then, add the rice, the previosly rehidrated seaweed and a pinch of salt. Stir.

Bring it to a boil once again, stir, and taste the water to check the salt. Add some more, if needed.

Cook in low heat, and position the lid in a way that doesn't cover the pot completely (to avoid the formation of foam and a potential disaster).


Serve as a side dish for a meat, fish or vegan dish.